Miriã Veloso – 365 Noites em Paris

21/06/2016

365 noites em ParisSim, lembrei que eu tenho blog. E nem chegou a carta de convocação pra mesária pra eu vir aqui reclamar etc.

Essa semana eu baixei sem querer um livro chamado 365 Noites em Paris no Kindle. Foi sem querer mesmo, eu tava baixando livros de receitas grátis (tem um monte lá) e aí ele apareceu no meio, quando eu vi tinha comprado. Aí ele furou uma fila gigante e eu fui ler por motivos de Paris.

Eu muito amo começar um livro sem saber absolutamente nada da história, nem a orelha eu leio. E achei que fosse um chicklit normal, desses que eu amo. Garota encontra garoto, os capítulos são narrados alternadamente pelos personagens. Não tinha nem me ligado que a autora era brasileira, sou desligada nesse grau.

Aí a leitura engatou. E eu lá pensando “ah que previsível, acontece isso isso e aquilo”“ahhh então é por isso que o título é esse né? meio óbvio”… NÃO!!!

Gente, não.

Não é óbvio. É lindo. É a vida. E é em Paris, o que me fez morrer de vontade de largar tudo e passar um tempo de verdade por lá, sozinha, fazendo apenas o que eu quero (infelizmente toda vez que eu penso em Paris lembro como é horrível conviver com outros seres humanos mas enfim).

Leiam. A literatura brasileira tem jovens autores maravilhosos.

Coloquei na wishlist outro e-book dela, Um Italiano em Minha Vida, mas entrei numas de fazer uma força e não comprar absolutamente nada esta semana. De modos que vamos manter o esforço de diminuir o consumismo. Porém já comecei com as crises de abstinência e se eu tiver uma recaída, vai ser com ele.

Good purple grey hair day

31/03/2015

Olhei no espelho do trabalho hoje e pensei “deos, estou num puta good hair day, olha pra isso, que cabelo fabuloso, brilhante e com as ondas certinhas no lugar”.

Bitch I'm Fabulous

Bitch I’m Fabulous

E imediatamente notei um fio branco, prateado, brilhante, no alto da cabeça, com uns 10cm gritando e acenando pra mim.

Essa, amiguinhos, é a fábula que resume minha vida.

Eu sei que muita gente nova tem cabelo branco, mas pra mim ele é o sinal claro de que tá na hora de parar de me comportar como uma adolescente retardada e virar adultinha. Coisa que eu definitivamente não tô pronta pra encarar. Fora que retocar a raiz de castanho e as pontas de roxo vai dar trabalho, custar caro e gastar meu tempo. Me recuso.

Cinquenta Tons de Cinza (Fifty Shades of Grey)

07/03/2015

cinquenta tons de cinza Olha, desde sempre eu já sabia que não valia sair de casa e pagar um ingresso pra assistir Cinquenta Tons de Cinza. Especialmente no meio de outras pessoas. Acho meio constrangedor inclusive.

E realmente não vale, porque o filme é bobinho. Achei a escolha dos protagonistas bem equivocada- ela velha demais, ele com cara de bonzinho demais.

Ah Kika se você achou tudo uma merda por que assistiu?

Ué, motivada pelo sentimento de rebanho que move a humanidade. Todo mundo tá falando, preciso saber do que se trata. É sério (ninguém nunca admite que faz coisas por causa do sentimento de rebanho né? deveria). Aí eu vou entender os memes e as piadas. Achei Breaking Bad uma merda mas adoro entender as referências, total valeu a pena.

And porque eu total adoro criticar coisas. Se fosse um filme bom eu estaria ocupada prestando atenção e não pendurada no Twitter xingando. Acho divertido ué. Tem gente que gosta de chicotada, eu gosto de rage live tweeting.

Falando em chicotada… mano, que história errada hein? Tá bom, tem gosto pra tudo, se a pessoa curte apanhar deixa ela. Eu, particularmente, já ficaria emputecidíssima em alto grau se alguém mexesse com o meu carro, ainda que fosse pra me dar um novo de presente. Não preciso de bofe me dando carro de presente, aliás. E nem com toda grana e charme do mundo eu deixaria um cara me bater. Podia até bater, mas acordaria sem o pau no dia seguinte. Cortaria com a minha segunda faca preferida, a de fatiar tomates. Compraria uma nova com o cabo roxo logo em seguida, seria inclusive um ótimo motivo pra comprar uma faca de tomates nova.

É isso.

Gravity

25/02/2015

Mano, eu gosto tanto dessa música que queria poder voltar 15 minutos no tempo pra nunca ter aberto o YouTube e assistido o vídeo dela. Puta negócio cafona. Até passou um pouquinho do amor pela música aqui, desculpa Pixie Lott.

Dan Brown – Inferno

24/01/2015

dan brown inferno “Oba, livro novo do Dan Brown! Vou comprar na pré-venda, e não tem problema pagar mais caro porque assim que chegar eu vou ler correndo”
– Kika, 23/05/2013

Fui ler Inferno quando? Exatamente, este mês.

E li em dois dias porque (1) Dan Brown (2) Florença. Como eu sou uma pessoa meio esquisita (ah cê jura?) gosto de ler meus autores preferidos sem saber absolutamente nada da história, não leio nenhuma resenha, nem a contra-capa do livro! Então não sabia que era em Florença, rá (é, basicamente quando o livro chegou eu enfiei na prateleira e nem prestei atenção na capa haha).

Eu diria que é o terceiro melhor livro (Código da Vinci > Anjos e Demônios), o que ainda é muito bom.

E sabe o tanto que eu sou desequilibrada a ponto de ter uma categoria Precisamos de uma nova peste aqui no blog, baseada numa fala do Dwight Schrute? Pois é, o vilão do livro pensa a mesmíssima coisa.

E olha, sem spoiler sem nada, preciso deixar registrado que o final do livro é fucking mágico e que se esse tipo de coisa acontecesse de verdade eu acharia é lindo

Chef (Chef, 2014)

21/01/2015

Chef (Chef, 2014) Assisti em Setembro, esqueci de postar no finado blog de filmes, mas encontrei o post aqui nos rascunhos e achei que o filme valia o post perdido no tempo/espaço.

Chef (Chef, 2014)
Um chef de cozinha talentoso esquentado surta com as críticas de um blogueiro, é despedido e atravessa os EUA num trailer vendendo lanches gourmet, que ficam famosos porque o filho dele tem 10 anos e é um social media melhor que muito adulto que ganha uma fortuna pra isso.

Bacana, apesar de terminar meio no nada. Entrou pra lista filmes-sobre-comida-pra-ter-na-prateleira.



Instagram @kikaluthor